segunda-feira, 19 de Maio de 2008

Carcinomatose...

-Isso é uma carcinomatose-disse o médico.
-Como? Não é um ponto negro que inflamou, um cravo, uma verruga?
-Não, é uma carcinomatose-diz o especialista após longa e cuidada observação.
E o meu mundo parou...eu paralisei. O cérebro esvaziou em segundos e apenas ecoou o som da expressão carcinomatose...o coração começou a bater lento ao ritmo da sentença: carcinomatose.
É verdade, foi-me diagnosticado um tumor maligno na face. E o mundo parou, pelo menos o meu, eu fiquei em pausa...todo o meu peso caiu, fiquei leve mas com o estigma do carcinoma comigo. Primeira reacção, após alguns momentos de paralisia, a responsável fui eu, mexi e tentei tirar um ponto negro, inflamei, degenerou...
- Não- garantiu-me o especialista-não foi responsável.
Não me recordo de sair do consultório, de chegar a casa ...continuei parada. Após algumas horas sem reacção...comecei a pesquisa veemente do significado de carcinomatose, enciclopédias, dicionários, internet, foi tudo lido e relido. Não fiquei mais descansada, carcinomatose, carcinoma ou tumor maligno, são expressões muito próximas e que se tocam. Nunca duvidei do diagnóstico, não chorei, apenas sobrevoei sobre a minha vida e aceitei que a partir daquele minuto a minha vida seria diferente. Logo agora que parecia que corria tudo tão bem, até parece cómico, mas é a realidade. Sentia-me realizada profissionalmente, adoro dar aulas e quero continuar a minha carreira docente, apesar dos obstáculos. Academicamente, estava a gostar da Pós-graduação e a sentir-me satisfeita com os resultados obtidos. Apenas, no âmbito pessoal, ainda não encontrei ninguém com quem partilhar a minha vida...porém esta situação nunca foi um drama para mim. Para mim, tragédia é um corpo estranho e maligno estar invadir o meu corpo através do meu rosto.
Esta mensagem foi escrita no domingo, 3 dias depois do diagnóstico mas apenas vou publicar após a excisão na 3ªfeira dia 20 de Maio. O resultado da análise para confirmar a malignidade virá posteriormente, após a biopsia.
Apenas desabafei com a minha mãe (o meu amparo), com a Telma (colega da Pós-Graduação), com a Palmira (colega e grande amiga) e com a Cristina (enorme amiga). A Palmira e a Cristina estão longe, estas amizades principiaram quando eu estive a dar aulas perto de Braga e continuam apesar da distância. As duas transmitem-me muita força e apoio. A Telma como batalhadora que é, está a lutar ao meu lado.

7 comentários:

Anónimo disse...

Nestas alturas, para além da serenidade que não deve ser perdida, temos de apelar à nossa fé.
Sou cristão (católico praticante) e, tendo já passado por situações de muito susto, do mesmo género, aconteceu-me exactamente a mesma coisa: o parecer que o mundo desabava sobre mim; muita ansiedade, muita espera, muitas conclusões precipitadas, muito medo, muitas orações em silêncio e, depois disto tudo, a calma e a alegria de que tudo não passou de um pesadelo.
Verá que o mesmo lhe vai acontecer.
As novas pesquisas científicas dar-lhe-iam quase a certeza de que vai sair-se bem desta situação. Os casos de sucesso, neste domínio - sabe isso melhor do que eu - são em número cada vez mais alto. A percentagem de sucesso tende a subir cada vez mais.
DEUS VAI QUERER que o seu caso seja apenas um susto. DEUS QUEIRA QUE SIM.
Força e ânimo.
JMoreira

Anónimo disse...

Olá Ana.

Ainda que as minhas certezas fossem só mesmo só isso; crenças pessoais, nunca acreditei que este episódio fosse mais além do que Terça-feira. Sei que para ti terá sido bem mais do que mais um dia, talvez um limiar que nos permite ver aquilo em que realmente acreditamos, aquilo em que desejariamos crer, aquilo e aqueles que valem a pena na nossa vida.
Apesar de ser tua colega há escassos 6 meses, sei que deste, como sempre, o teu melhor para que este parar momentâneo do teu mundo não fosse o parar da tua vida.
Hoje e sempre, aqui ou noutro lugar.

Um grande beijo
TDC

Ana disse...

Olá Ana!
Esta fase não há-de passar de um grande susto em que estás a ser posta à prova pelo destino. Em breve, tudo voltará ao normal, e de certo poderás retomar a tua vida tranquilamente e fazeres aquilo que mais te dá prazer. No dia em que me enviaste a sms, o meu coração gelou pensando que podia ser algo semelhante, mas não imaginei que fosse isto. Qualquer coisa que precises sabes, que estou ao lado e podes contar comigo. Bjs, Ana

Anónimo disse...

Olá Ana....
Nada de desânimos....
Como sabes estou mais do que batida no assunto e se te poder acalmar com a minha história....., no dia 2 de janeiro deste ano foi-me diagnosticado o papiloma(esse mesmo o do cancro do colo do útero).... tive um mês de Janeiro entre exames, biopsia (e se doeu!) e tudo, tudo tudo. Só tive os resultados em Fevereiro e para além da vigilância cerrada....acabou tudo em bem. A minha mãe ensinou-me algo que mantenho como lema de vida e que me ajuda sempre nestes momentos: Um dia de cada vez, não como se fosse o último, mas apenas um dia de cada vez.....
Beijos, calma muita calma.
Licas

Anónimo disse...

Querida Amiga,
Quando o chão desaba debaixo de nós porque alguém ou alguma coisa se acha no direito de nos fazer temer o dia de amanhã há que procurar forças lá bem no fundo onde já pensamos que só existe o vazio e gritar bem alto “Não! sou dona da minha vida e eu é que decido! queres luta então vamos lutar!!”. Garanto-te que a vontade de viver faz mover o céu e a terra se for preciso.
Levanta a tua montanha Ana, grita e ergue-te Amiga !
Beijos do fundo do coração
Raquel

Anónimo disse...

Confesso que estou ansioso por ter a confirmação de que tudo não passou de um susto.
JMoreira

Ilda disse...

Olá querida!
Minha mãe(74 anos), morreu ontem de carcinomatose e quero que saiba, você não deve fazer radioterapia. NUNCA. Radioterapia não presta, é o pior veneno do século 21. Olha, gostaria que sempre se correspondesse comigo, mande e-mail,tenho muito para dividir com quem passa por uma situação dessa.
Não fique triste, existe um Deus poderoso que manda e desmanda no reino dos céus e da terra. Veja a situação de Jó, homem arrogante, soberbo que teve vários tumores no corpo, se definhou, sofreu, sentiu dores, viu a carne apodrecer e no fim, o nosso Deus o curou e o fez um homem mais rico do que antes e devolveu-lhe uma bela família.
Deus te ama e ele vai te curar. Tenho certeza.Fique na paz e graça do Senhor Jesus Cristo.
Ilda - sgjid@hotmail.com